segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Mas porquê?

Para quê acordar?
Se voltarás a dormir,
Para quê descansar?
Se nesse botão voltarás a premir.

Para quê de manhã abrir os olhos?
Se de noite os voltarás a fechar,
Para quê ires por atalhos?
Se depois teres que regressar.

Para quê fazer a cama?
Se voltarás a desfazê-la,
Para quê dizer que ele a ama?
Se voltará tudo á mesma mazela.

Para quê regar uma flor?
Se no fim irá morrer,
Para quê chamar-te de amor?
Se no fim tudo se irá desvanecer.

Para quê te lavares?
Se no fim te voltarás a sujar,
Para quê te chateares?
Se no fim voltarás a amar.

Para quê perguntares?
Se voltarás a perguntar,
Para quê me amares?
Se no fim me voltarás a odiar.

É estúpido, mas nínguém sabe as respostas,
Se pensares assim,
E deste meu pensamento gostas,
Terás uma doença igual a mim.

9 comentários:

  1. "Para quê fazer a cama?
    Se voltarás a desfazê-la,"

    Penso nisto todas as manhas que decido não fazer a cama. Sofro do mesmo que tu xD

    ResponderEliminar
  2. ahah, concordo totalmente com a Mónica, penso o mesmo todas as manhãs xD

    ResponderEliminar
  3. Não sei para que é que a preciso de fazer se a noite me vou deitar nela outra vez, nunca percebi xD

    ResponderEliminar
  4. Sim, são coisas da vida. Mas ainda assim há perguntas que têm respostas coerentes, a que não aceito mesmo é a da cama.

    ResponderEliminar
  5. LOL olha melhor melhor é nem dormir :O
    Já vi que hoje tudo irrita-te xD

    ResponderEliminar
  6. Lindo +.+

    Desculpa é que ainda sou noob nisto xD

    ResponderEliminar
  7. e o teu jeito reside aqui, não duvides disso :)

    ResponderEliminar